Home » Artigos e Notícias

Category Archives: Artigos e Notícias

Dez dicas sobre recursos para vídeo-animação

01 – Lumen 5

Link: Lumem 5

02 – Animatron

Link: Animatron

03 –  Renderforest

Link: Renderforest

04 – Mixamo

Link: Mixano

05 – Biteable



Link: Biteable

06 – Vyond (anteriormente GoAnimate)

Link: Vyond

07 – Iclone

Link: Iclone

08 – Toon Boom

Link: Toon Boom

09 – Raw short

Link: Raw short

10 – Explee

Link: Explee

Dez dicas sobre impressora 3D para iniciantes

01 – Anet A8

Preço no site da Anet 8 inicial de U$ 180.00 (cerca de R$ 972,68 na cotação de 29/06/2020).

Link: Anet A8.

02 – Photon Zero (Fóton Zero)


Preço no site da Anicubic: U$ 169,00 (cerca de R$ 913,24 na cotação de 29/06/2020).

Link: Anicubic.

03 – Monoprice Select Mini

Preço no site da Select Mini V2 é de U$ 179,00 (cotação em R$ 972,63).

Link: Select Mini V2

04 – Creality Ender 3



Preço no site da Amazon está por R$ 2.390,00.

Link: Creality Ender 3

05 – M3D Micro


O Preço é no Mercado Livre é de R$ 1.700,00.

Link: M3D Micro

06 – Duplicador i3 V2.1



O preço pode ser de £349.99 (cotação em 29/06/2020 em R$ 2.326,97) , mas ainda poderia, com muito trabalho, ser encontrada por U$ 349,00 (cotação em 29/06/2020 em R$ 1.891,28)

Link: Duplicador i3 V2.1

07 – The Da Vinci Jr. 1.0


O Preço desta impressora é U$ 499,95 (cerca de R$ 2431,44 pela cotação de 29/06/2020).

Link: Da Vinci Jr. 1.0

08 – JG Maker Magic

O preço desta impressora 3D está em U$ 239,00 (cerca de R$ 1.291,00 na cotação de 29/06/2020.)

Link: JG Maker Magic

09 – Dremel Digilab 3D20



O preço dela é na Amazon U$ 649,02 (cerca de R$ 3507,17 na cotação de 29/06/2020).

Link: Dremel Digilab 3D20

10 – Finder 2.0

O Preço da impressora é R$ 2.852,00 na Processtec.

Link: Finder 2.0

Dez dicas sobre “Single Board Computers” (Computadores de Placa Única)

01 – Placa Single Board Raspberry Pi

Na Amazon.com.br está R$ 499,00 em 26/06/2020.

Link: Raspberry 4

02 – Banana Pi M 64

Na Amazon.de (Alemanha) custa € 61,62 (R$ 378,74 em 26/06/2020)

Link: Banana Pi M64

03 – Orange Pi

Este é o computador que desenvolvemos no LABPAM/CD Maker – FACED/UFC (O “Computinho”) no final de 2019 com base no Orange Pi, já rodando a distribuição LINUX que desenvolvemos na FACED/UFC.

No Mercado Livre a placa custa: R$ 189,00 (Preço cotado em 26/06/2020).

para o Orange Pi 3, mas existem uma variação de preços para o Orange Pi 4, entre outros

Link: Orange Pi

04 – Asus Tinker Board S


Suporta vários sistemas operacionais, com documentação e códigos fonte para Debian e Android, permitindo que você reduza o tempo de desenvolvimento do produto.

Nas Americanas está por R$ 473,60 a vista (em 12x no cartão)

Link: Asus Thinker

05 – Odroid XU4










O preço pela Amazon.com é U$ 85,00 (Na cotação de 26/06/2020 é R$ 465,72)

Link: Odroid XU4 

06 – Qualcomm Snapdragon 410 c

É utilizado no extremo oriente. E costuma não ter um preço muito acessível, considerando as ações que pode realizar. Cotamos o preço deste equipamento por U$ 75,00 (R$ 410,00).

Link: Qualcomm Snapdragon 410 c

07 – 5. Arduino Mega 2560

O preço do produto está em U$ 40,30 (R$ 220,07 em 26/06/2020).

Link: Arduíno Mega 2560

08 – PocketBeagle

O preço do produto U$ 32,55 (R$ 177,75 na cotação de 26/06/2020).

Link: PocketBeagle

09 – Le Potato

O seu preço de mercado é de U$ 35,00 (R$ 191,13 na cotação de 26/06/2020).

Link: Le Potato

10 – Helios64 by Kobol

O seu valor de mercado U$ 189,00 (R$ 1032,11 em 26/06/2020).

Link: Helios64 by Kobol

Existem muitas outras placas Single Board, e com elas podemos montar equipamentos novos e podemos fazer novos experimentos. Mas seja como for explorem e conheçam mais.

Dez dicas sobre Programa de Edição de Vídeo

01 – Shotcut:

O site do Shortcut:

Para baixar:

https://shotcut.org/

02 – Openshot:

O site do Openshot:

Para baixar:

https://www.openshot.org/pt/screenshots/

03 – O Camtasia:

O site do Camtasia

Para baixar e instalar:

https://filmora.wondershare.com/pt-br/camtasia-alternativa.html?gclid=EAIaIQobChMI2rTGy_iY6gIVAwyRCh1iUwiaEAAYASAAEgIGpfD_BwE

04 – Lightworks:

O site do Lightworks

Para baixar e instalar:

https://www.lwks.com/index.php?option=com_lwks&view=download&Itemid=206&tab=0

05 – Blender

O site do Blender

Para baixar e instalar:

blender.org/

06 – Hitfilm Express:

O site do Hitfilm Express

Para baixar e instalar:

https://fxhome.com/hitfilm-express

07 – Da Vinci Resolve:

O site do Da Vince Resolve 16

Para baixar e instalar:

https://www.blackmagicdesign.com/products/davinciresolve/

08 – Horizon:




O site da Horizon

Para baixar e instalar:

https://horizon.camera/

09 – Magistro:


O site do Magistro

Para baixar e instalar:

https://www.magisto.com/

10 – Filmora Go

O site do Filmora Go

Para baixar e instalar:

https://filmora.wondershare.com/filmorago-video-editing-app/

10 Ferramentas Linux úteis para SysAdmins

Contextualizando, afinal de contas o que é um SysAdmin?

Esse termo, traduzido “administrador de sistemas“, refere-se ao profissional que é responsável por manter o pleno funcionamento dos sistemas, geralmente os informatizados, de uma empresa. A empregabilidade do termo, por mais irônico que seja, volta-se para profissionais de infraestrutura onde precisam que alguns serviços internos desde compartilhamento de arquivos, aplicações internas(CRM e/ou ERP) até a segurança da informação interna(dados sensíveis da corporação e/ou dos colaboradores) e segurança de rede(prevenção e detecção de possíveis intrusões indevidas).

1 – Começando do começo: Editores de texto (vim/nano).

Difícil, se não impossível, falar de Linux sem mencionar editores de texto, afinal, o funcionamento dos serviços baseia-se em instruções e opções nos arquivos de configurações dos mesmos.

1.1 – Nano.

Editor de texto que veio ganhando espaço a alguns anos, por ser mais amigável, basicamente todas as distribuições o inserem em seu core, não sendo necessária uma instalação extra de pacote para que ele funcione.
Sua navegação e a legenda em seu rodapé auxiliam bastante até mesmo o mais inexperiente dos profissionais, bastando apenas um “nano ” e pronto, temos um arquivo pronto para criação/edição.

Exemplo de uso: “nano nomedoarquivo”

1.2 – Vim.

Ou “Vi improved” é uma melhoria do clássico editor de texto “Vi”, sua usabilidade ainda hoje espanta de certa forma os mais leigos por possuir “modos” de atividade(visualização, edição e comando), onde para cada um é necessária a interação.
Contudo, com o uso constante da ferramenta e conhecimento um pouco mais avançado, nota-se o quão robusta ela pode ser, inclusive, é possível acionar um guia dentro da própria aplicação, através do “vimtutor”

Exemplo de uso: “vim nomedoarquivo”

2 – Paginadores(Less/More).

Se você ja se aventurou em distribuições Linux sem interfaces gráficas, certamente já se deparou com o problema de executar um comando e ele “subir muito rápido” na tela. Isso para quem está entrando no mundo Linux consegue ser bem frustrante, afinal, muitas vezes a informação que desejamos não é exatamente a que esta no fim da saída do comando, não é mesmo?
Partindo dessa necessidade, falaremos de dois paginadores muito utilizados quando não se tem uma interface gráfica e precisa-se analisar cautelosamente uma saída de comando.

2.1 – More.

More não chega a ser necessariamente um “comando”, mas um “paginadores de saída”… Bem, quando executamos determinados comandos, o resultado que vemos em tele chama-se de “saída padrão” ou “stdout”. Partindo desse conceito, o “more” atua como um tratador dessa saída, fazendo com que ao invés de ela ser exibida de forma íntegra de uma só vez, o que pode ser impossível de ler dependendo da quantidade de informações a serem exibidas, ele faz uma paginação, permitindo com que o início da saída seja exibido e seja possível a interação para visualização do resto da informação.

Exemplo de uso: “comando -opções | more”

2.2 – Less

De forma muito parecida com o “more”, o tratador “less” tambem facilita a visualização de saída de comandos, com o adicional – veja você a ironia – de permitir que seja “navegado” pela saída do comando, ao contrário do “more” que só permite visualização “top to down”.

Exemplo de uso: “comando -opções | less”

3 – Downloaders FTP/HTTP/HTTPS(wget/axel)

Apesar de ter suas limitações, muitas vezes precisamos efetuar o download de algum arquivo de configuração ou até mesmo de um instalador de programa para efetuar alguma manutenção ou melhoria no sistema via modo texto. Visando essa demanda, falaremos agora de algumas feramentas conhecidas que facilitam a vida nessas situações.

3.1 – Wget.

O mais famoso downloader do mundo Linux, o wget tem a função de fazer downloads de urls sem a necessidade de interação, sua simplicidade facilita muito quando há a necessidade de importar uma configuação ou baixar diretamente um arquivo.

Exemplo de uso: “wget https://arquivo.a.ser.baixado”

3.2 – Axel.

Não tão conhecido como ser antecessor, o axel efetua a mesma função de uma forma um pouco diferente: utilizando várias conexões simultâneas. Em resumo, ele segmenta o arquivo de destino em pequenos pedaços e estes começam a ser baixados de forma individual, por conexões independentes onde, em alguns casos, melhora consideravelmente a velocidade de download.

Exemplo de uso: “axel https://arquivo.a.ser.baixado”

4 – Ipcalc.

Quem nunca teve alguma dúvida quanto a configurações de rede que saiam do bom e velho “/24” que geralmente trabalhamos? Visando essa situação temos o ipcalc, que nada mais é do que um utilitário que calcula o endereçamento bastando apenas informar o ip, seguido do prefixo.

Exemplo de uso: “ipcalc ip/prefixo”

5 – Analisadores de rota (traceroute/tracepath/mtr)

Muitas vezes temos uma conexão de internet aparentemente estável mas quando acessamos determinados endereços ou serviços, nos dá a sensação de que estamos sem internet. Esse problema geralmente acontece por se tratar de uma falha em algum nó(dispositivo) na rota para o destino. Para diagnosticar essas falhas, serão abordadas três ferramentas bem úteis

5.1 – Traceroute

Essa aplicação, com sua versão “tracert” para usuários da “janela”, envia uma sequencia de pacotes ICMP, apesar de ser também possivel com pacotes TCP (tcptraceroute), para cada nó até seu endereço de destino, facilitando o diagnóstico de “onde está o ponto de falha” no caminho em questão.

Exemplo de uso: “traceroute endereço.de.destino”

5.2 – Tracepath

Essa feramenta tem muitas similaridades com o “traceroute”, contudo, não é necessária a elevação de usuário para sua execução e não possui muitas opções, como seu antecessor.

Exemplo de uso: “tracepath outro.edereço.aqui”

5.3 – Mtr

E se fosse possível identificar a perda de pacotes e, ao mesmo tempo, saber o caminho a ser feito para chegar a um determinado destino? É para isso que existe o “mtr”, seu uso não só mostra os nós no caminho como verifica a percentagem de perda que cada um possui.

Exemplo de uso: “mtr endereço.de.destino”

6 – Iperf

Caso haja a necessidade de um teste de “carga de rede”, nada melhor que utilizar o “iperf”. Essa ferramenta tem como objetivo mensurar a banda efetiva entre dois pontos. Seu funcionamento dá-se da seguinte forma: o comando é executado em dois pontos, um emissor e um receptor com seus respectivos parâmetros e protocolos utilizados(se udp ou tcp).

Exemplo de uso: Servidor – “iperf -s” | Cliente – “iperf -c ip.do.servidor”

7 – Iptables

Também conhecido com o firewall do Linux, o iptables tem a função de gerenciar as conexões/sockets existentes e em ação no sistema. Através dele é possivel a libeação ou o bloqueio de determinadas portas/serviços. Seu funcionamento simples, consiste na inspeção da tabela de regras de filtro de pacotes(ipv6/ipv4) diretamente no kernel Linux.

Exemplo de uso: “iptables -nvL” – Para listagem das regras existentes.

8 – Tcpdump

Visando saber quem ou o quê está tentando acessar a maquina local através das conexões existentes, sendo essas estabelecidas ou não, temos o “tcpdump”. A ferramenta atua como um monitor, em tempo real, da interface, mostrando em tela (ou armazenando em arquivo, caso redirecionada a saida) as conexões/sockets em uso em tempo real. Torna-se extremamente útil quando usada em dispositivos de tem um acesso mais aberto à internet.

Exemplo de uso: “tcpdump port 80” – Filtra todas as conexões, entrantes e saintes, envolvendo a porta 80

9 – Monitor de sockets (netstat/ss)

Como saber se um serviço que deveria ser publicado, um servidor web por exemplo, está efetivamente liberado? Ou se existe alguma porta liberada que não deveria estar? Bom, nesse caso temos os inspecionadores de portas(ou service sockets) que nada mais fazem do que informar quais portas estão publicadas.

9.1 – Netstat

Ferramenta bastante conhecida, o netstat com seu homônimo para a “janela”, tem por finalidade listar se portas estão ou não liberadas e seus estados(escutando, estabelecidas, conectadas, etc). Ela faz uma consulta em um arquivo que é constantemente alimentado de informações do sistema.

9.2 – Ss

Tida como substituta de sua antecessora, além de trazer leituras de conexoes como udp, a consulta sobre as conexões é feita diretamente no kernel, sendo assim mais precisa e rápida.

10 – Nmap

Agora vamos para uma ferramenta que analisa tanto o host local quanto o remoto: nmap. Sua funcionalidade é bem simples, basta informar um “bloco” de portas ou endereços que é necessária a consulta via rede e executar o comando.

Exemplo de uso: “nmap -p 80,443 endereco.de.ip/rede”

Curso Videoaulas: Resultado das Inscrições

Caros amigos e amigas temos aqui a lista dos inscritos e o cronograma de realização do curso entre Maio de 2020 e Maio de 2021.

Link do cronograma do curso:

https://drive.google.com/file/d/1YBtplrpI7cSJUmO1lbaRidcENNK8HcUP/view?usp=sharing

Curso para Videoaulas

Abertas inscrições para o curso “FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA CRIAÇÃO E USO DIDÁTICO DE VIDEOAULAS”.

Esta etapa será para 15 pessoas, professores e estudantes da UFC. Como a procura está sendo significativa, é provável que tenhamos mais umas 10 versões deste curso entre 2020 e 2021 e quem se inscrever, ficará cadastrado para as próximas versões. Neste momento, se inscrevam e divulguem.

As inscrições estão abertas e vão até a próxima sexta-feira (08/05/2020). Acesse o link e garanta já a sua vaga!

Link para acesso:

https://docs.google.com/forms/d/1mhfknfG1eFsLB56KIiYU9kp2G7SV1eJjtLAdNl_JWRM/edit?ts=5ea77005#responses

10 Dicas sobre videoconferência/webconferência

Olá caros leitores, sejam bem vindos a mais uma postagem no nosso site!

Hoje trago para vocês uma lista de 10 ferramentas para realização de conferência remotas, mas antes de tudo quero explicar um pouco a diferença entre videoconferência e webconferência.

Em geral as duas nomenclaturas têm a mesma finalidade, pois se tratam de conferências remotas, utilizando recursos da internet.

Em videoconferências são utilizadas soluções profissionais (terminais para videoconferência, câmeras, microfones, etc) que são voltados para a finalidade de criar, gerenciar e gravar as reuniões online com possibilidade de compartilhamento de apresentações, voz, vídeo, textos e arquivos via terminais de videoconferência, web, aplicativos da plataforma e até ligações diretas por telefone.

Webconferências são encontros virtuais, conferências ou reuniões realizados por meio da internet podendo ser utilizado qualquer dispositivo, através de aplicativos ou serviços profissionais ou não. Também existe a possibilidade de compartilhamento de apresentações, voz, vídeo, textos e arquivos.

Não listei em uma ordem de melhor para pior, mas sim os recursos atrativos de cada plataforma para a nossa finalidade, desde demandas corporativas até as necessidades pessoais.

Vamos agora para as plataformas

Hangouts Meet – Google

Comecei trazendo a solução corporativa da Google, o Hangouts Meet. Ele hoje traz todos os recursos que contemplam videoconferências, porém essa ferramenta só está disponível para usuários G Suite (Suite de aplicativos empresarial Google). Os recursos do Hangouts Meet podem alterar de acordo com o plano utilizado por sua empresa, conforme imagem abaixo.

Fonte: https://gsuite.google.com/intl/pt-br/compare-editions/?feature=meet

Abaixo, trago uma lista de requisitos encontrados na plataforma:

  • Acesso através das plataformas: Web, Android e iOS
  • Tempo de duração da reunião: Ilimitada
  • Quantidade máxima de participantes: até 250 (de acordo com o plano)
  • Gravação da reunião: Sim (Google Drive do participante que solicitar)
  • Apresentação de tela/conteúdo: Sim
  • Chat: Sim
  • Controle de participantes: Sim. Por meio do proprietário da reunião

Vale lembrar que caso a sua instituição for de ensino ou sem fins lucrativos, a Google fornece gratuitamente o G Suite for Education e G Suite for Nonprofit.

Hangouts – Google

Ao contrário da solução corporativa da Google, o Hangouts trás menos recursos, mas não deixa de ser uma opção para pequenas reuniões, entre colegas, amigos e familiares.

Abaixo, trago uma lista de requisitos encontrados na plataforma:

  • Acesso através das plataformas: Web, Android e iOS
  • Tempo de duração da reunião: Ilimitada
  • Quantidade máxima de participantes: até 10
  • Gravação da reunião: Não
  • Apresentação de tela/conteúdo: Sim
  • Chat: Sim
  • Controle de participantes: Não

Microsoft Teams

Assim como o Hangouts Meet da Google, a Microsoft tem o Microsoft Teams como sua solução corporativa, que integra o pacote de ferramentas corporativas da Microsoft, o Office 365. As duas soluções são bem próximas nos recursos que podem alterar de acordo com o plano utilizado por sua empresa, conforme imagem abaixo.

Fonte: https://www.microsoft.com/pt-br/microsoft-365/microsoft-teams/compare-microsoft-teams-options

Abaixo, trago uma lista de requisitos encontrados na plataforma:

  • Acesso através das plataformas: MS Windows, Web, Android e iOS
  • Tempo de duração da reunião: Ilimitada
  • Quantidade máxima de participantes: até 250 (de acordo com o plano)
  • Gravação da reunião: Sim
  • Apresentação de tela/conteúdo: Sim
  • Chat: Sim
  • Controle de participantes: Sim

Vale lembrar também que caso a sua instituição for de ensin, a Microsoft fornece gratuitamente o Office 365 Educação.

Microsoft Skype

Assim como citei o Hangouts da Google, o Skype adquirido pela Microsoft, segue a mesma ideia, sendo a opção mais utilizada e uma das melhores para pequenas reuniões, entre colegas, amigos e familiares.

Abaixo, trago uma lista de requisitos encontrados na plataforma:

  • Acesso através das plataformas: MS Windows, Web, Android e iOS
  • Tempo de duração da reunião: Ilimitada
  • Quantidade máxima de participantes: até 50
  • Gravação da reunião: Sim
  • Apresentação de tela/conteúdo: Sim
  • Chat: Sim
  • Controle de participantes: Sim

Zoom Meetings

Novamente trago uma solução corporativa, mas com recursos limitados para versão gratuita. Seus recursos e uso são muito similares aos do Hangouts Meet e Microsoft Teams, sendo um dos seus principais concorrentes. Os recursos do Zoom Meeting podem alterar de acordo com o plano utilizado por sua empresa, conforme imagem abaixo.

Fonte: https://zoom.us/pricing

Abaixo, trago uma lista de requisitos encontrados na plataforma na versão gratuita, que já contemplam muitas reuniões.

  • Acesso através das plataformas: GNU/Linux, MS Windows, macOS, Web, Android e iOS
  • Tempo de duração da reunião: 40 minutos
  • Quantidade máxima de participantes: até 100
  • Gravação da reunião: Não
  • Apresentação de tela/conteúdo: Sim
  • Chat: Sim
  • Controle de participantes: Não

Jitsi

O Jitsi é mais uma plataforma para videoconferência com recursos profissionais. Ele é totalmente gratuito e de código-fonte aberto para você implementar o servidor na sua empresa, utilizando uma licença GPL. Também pode ser usado este link para criar salas gratuitas diretamente nos servidores do Jitsi, porém se você quiser mais recursos como sua própria sala pessoal, uso de senha na sala, sincronização com seu calendário e armazenamento de chat, gravações e transcrições, terá que utilizar o 8×8 Video Meetings Pro

Fonte: https://app.8×8.vc

Abaixo, trago uma lista de requisitos encontrados na plataforma na versão instalada no seu servidor.

  • Acesso através das plataformas: Web, Android e iOS
  • Tempo de duração da reunião: Ilimitado
  • Quantidade máxima de participantes: Ilimitado
  • Gravação da reunião: Sim (dropbox ou armazenamento local do servidor)
  • Apresentação de tela/conteúdo: Sim
  • Chat: Sim
  • Controle de participantes: Sim

Apache OpenMeetings

Assim como o Jitsi, o Apache OpenMeetings é mais uma plataforma para videoconferência com recursos profissionais. Ele é totalmente gratuito e de código-fonte aberto para você implementar o servidor na sua empresa, utilizando uma Licença Apache. Porém ao contrário do Jitsi, ele não tem uma versão nos servidores da apache, caso você queira utilizá-lo, terá realmente que instalar no seu servidor.

Fonte: https://openmeetings.apache.org

O OpenMeetings permite que você faça conferências de áudio/vídeo. Você pode criar reuniões com o calendário integrado, as salas de conferência e os convites são automaticamente enviados para todos. Cada sala possui seu próprio File-Explorer (cada usuário tem seu próprio diretório privado e, além disso, existe um diretório público para compartilhar arquivos com outros participantes. Há uma API SOAP/REST para integrar ao seu site ou intranet, serviços de autenticação LDAP/ADS e módulos de integração VoIP/Asterisk. No centro de mensagens privadas, você pode enviar convites por email e anexar convites para reuniões a todos os emails. Você pode configurar usuários, salas, grupos de usuários, definições de configuração ou editar etiquetas com uma interface web administrativa integrada no aplicativo. Você pode compartilhar a tela e gravar sessões inteiras, incluindo áudio/vídeo. As gravações podem ser baixadas como AVI/FLV ou assistidas on-line no player integrado.

Abaixo, trago uma lista de requisitos encontrados na plataforma na versão instalada no seu servidor.

  • Acesso através das plataformas: Web, Android e iOS
  • Tempo de duração da reunião: Ilimitado
  • Quantidade máxima de participantes: Ilimitado
  • Gravação da reunião: Sim
  • Apresentação de tela/conteúdo: Sim
  • Chat: Sim
  • Controle de participantes: Sim

Agora trago para vocês algumas soluções para pequenas reuniões, como Google Hangouts e Skype citados acima, porém mais voltados para mobile, com algumas limitações e particularidades de cada.

WhatsApp

A maior e mais utilizada rede social para mensagens instantâneas e chamadas de voz e vídeo (para smartphones com o limite de 4 participantes). Você pode compartilhar mensagens, fotos e vídeos e documentos criar e participar de grupos com até 256 pessoas ao mesmo tempo.

Facebook Messenger

A maior rede social do mundo, também possui uma solução de videconferência, o Messenger que possibilita comunicação tanto por texto como por vídeo, utilizando o protocolo XMPP (utilizado por muitas ferramentas para mensagem instantânea, como ICQ, Jabber, etc). Para utilizar o Facebook Messenger é necessário ter uma conta criada no Facebook, que não é nenhum problema, pois tem mais de 130 milhões de usuários atualmente no Brasil.

Line

Se tornou popular no Japão para chamadas de áudio, é uma rede social com bastantes recursos atrativos. Vale a pena conhecer, ele permite chamadas entre pessoas e em grupos. Permite compartilhar mensagens por texto, imagens e documentos.

Enfim pessoal, espero ter colaborado com suas pesquisas e até breve!

10 Dicas sobre Bibliotecas Online de Cordéis

Caros amigos e amigas, neste dia do trabalho, na época do COVID-19. Trabalhar com as crianças e com toda família é um desafio. Nestes momentos aproveitar para aprender mais sobre a Cultura Popular do Brasil pode se tornar divertido ajudando com os processos que envolvem a aprendizagem e o amor pela leitura, poesia e escrita.

Pelas questões acima apresento 10 dicas para ajudar no processo de leitura e escrita, bem como, na aprendizagem da cultura popular do Brasil com base na Literatura de Cordel.

Então vamos explorar???

Dica 01 – Biblioteca Virtual Cordel

Figura 01 – Home Page da Biblioteca Virtual Cordel em 29/04/2020.

Universidade de Poitiers – Lefebvre/França (FR)

Centro de Pesquisa sobre América-Latina

Poitiers/França

(http://www.mshs.univ-poitiers.fr/crla/)

Acesso em 29/04/2020.

A Biblioteca Virtual Corder (ou Biblioteca Virtual do Cordel) faz parte do centro Latino-americano de pesquisa mantido e desenvolvido pela Universidade de Poitiers na França. Possui diversos documentos (cerca de 425 páginas com documentos relativos ao Cordel), e vale muito a pena explorar.

O e-mail para contato: crla@mshs.univ-poitiers.fr

Link:

http://cordel.edel.univ-poitiers.fr/

Acesso em 29/04/2020.

Dica 02 – Acervo – Cordel e Literatura Popular em Verso

Figura 02 – Home Page da Acervo em 29/04/2020.

Fundação Casa de Rui Barbosa

Preserva a obra de Rui Barbosa e abriga a Acervo Biblioteca sobre a Literatura de Cordel. A Fundação é mantida pelo Governo Federal do Brasil

(http://www.casaruibarbosa.gov.br/)

Acesso em 29/04/2020.

O Acervo é uma Biblioteca de Cordel com cerca de 9 mil folhetos que estão disponíveis para consulta na Internet, com base em suas referências catalográficas, e podem ser pesquisadas por título, autor, assunto, local de publicação, editora, data e gênero. Cerca de 2340 folhetos estão relacionados à poetas e cantadores estão disponíveis em versão digital, e constituem uma pedida de valor para os interessados e pesquisadores da Literatura de Cordel no Brasil.

O e-mail para contato: pesquisa@rb.gov.br (Diretor do Centro de Pesquisa da Casa de Rui Barbosa)

Link:

http://www.casaruibarbosa.gov.br/cordel/acervo.html

Acesso em 29/04/2020.

Dica 03 – Acadêmia Brasileira de Literatura de Cordel

Figura 03 – Home Page da ABLC em 29/04/2020.

A Acadêmia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), não é em princípio uma biblioteca, ou ainda, um museu sobre cordéis. No entanto, se trata de um espaço de representação para os escritores de cordel, envolvendo suas questões como a criação, produção e distribuição desta forma de Literatura fazendo a ponte entre os trabalhos acadêmicos sobre tal temática, a poesia, a xilogravura, bem como, com respeito aos artistas deste gênero. Se trata de um site de fácil navegação possuindo um espaço o cordel, para os projetos, as gravuras. Além disto apresenta dados sobre as matrizes do cordel, vídeos sobre o tema, parceria e o espaço para associados, assim como apresenta loja virtual. É um endereço que vale a pena ser explorado por professores e estudantes, assim como, por quaisquer pessoas interessadas pela cultura brasileira e pelas questões envolvidas nesta temática.

O e-mail para contato: ablc@ablc.com.br

Link: http://www.ablc.com.br/

Acesso em 29/04/2020.

Dica 04 – Mundo Cordel

Figura 04 – Home Page do Mundo Cordel em 29/04/2020.

A Home Page do Mundo Cordel foi construída pelo escritor de cordel Marco Mairton da Silva que é nascido em Fortaleza em 1966. Sua formação acadêmica é em Direito sendo Bacharel pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Marco Mairton é Juiz Federal desde 2001 e foi advogado e procurador do Banco Central e Advogado da União. Desde 2005 ele amplia sua produção cultural no Cordel e em 2010 teve seu Blog premiado pelo Ministério da Cultura. Seu Blog possui vários cordéis e discussões sobre o tema e vale a pena ser explorado por estudantes e professores.

O Contato:

https://mundocordel.com/contato/

Link: https://mundocordel.com/

Acesso em 29/04/2020.

Dica 05 – Memórias do Cordel

Figura 05 – Home Page de Memórias do Cordel em 29/04/2020.

O Blog Memórias do Cordel resulta do Trabalho de Conclusão de Curso de Paulo Jeyson, Habilitado em Artes Gráficas do Curso de Artes Visuais do Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas. O trabalho foi sobre o legado tipográfico de do São Francisco e como isto afetou o designer editorial brasileiro. O site é voltado às pessoas interessadas em pesquisar o Cordel.

O Contato: http://memoriasdocordel.blogspot.com/p/contato_05.html

Link: http://memoriasdocordel.blogspot.com/

Acesso em 29/04/2020.

Dica 06 – Pinterest sobre Literatura de Cordel

Figura 06 – Pinterest sobre Literatura de Cordel em 29/04/2020.

Se trata de um dos Pins de Maria das Dores Fragoso Mamede. É uma referência muito bonita com vários destaques à literatura de cordel e à xilogravura no Pinterest. Vale a pena ver, apreciar e explorar.

O contato: https://br.pinterest.com/dorafragoso/

Link: https://br.pinterest.com/dorafragoso/literatura-de-cordel-/

Acesso em 29/04/2020.

Dica 07 – Literatura de Cordel do Fábio Alves

Figura 07 – Blog Literatura de Cordel de Fábio Alves em 29/04/2020.

O Blog de Literatura de Cordel de Fábio Alves vale a pena ver por sua presença como artista, e também por sua presença no Instagram, bem como, em diversas redes sociais. Interessante para quem quiser apreciar a literatura e as imagens xilográficas no Instagram, por isso, vale a pena ver e exploram.

Contato:

https://www.instagram.com/literaturadecordelfabioalves63/

https://literatura-de-cordel2.webnode.com/contato/

Link: https://literatura-de-cordel2.webnode.com/

Acesso em 29/04/2020.

Dica 08 – Memórias da Poesia Popular

Figura 03 – Home Page da Memória da Poesia Popular 09/04/2020.

A página constitui uma base de dados com nome de autores da literatura popular. Vale a pena averiguar a página pois parece ser interessante para pesquisadores do tema e está relacionado à Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

O e-mail para contato:  memoriasdapoesiapopular@gmail.com

Link: https://memoriasdapoesiapopular.com.br/

Acesso em 29/04/2020.

Dica 09 – 40 Livros de Literatura de Cordel

Figura 09 – Home Page do Canal do Ensino em 29/04/2020.

Relação de 40 livros de Literatura de Cordel no Canal do Ensino. Vale a pena explorar para o trabalho com estudantes.

O Contato: https://canaldoensino.com.br/blog/fale-conosco

Link:

https://canaldoensino.com.br/blog/40-livros-gratis-de-literatura-de-cordel

Acesso em 29/04/2020.

Dica 10 – Canal do YouTube Causos de Cordel

Figura 10 – Home Page Youtube do Canal Literatura de Cordel em 29/04/2020.

Para quem deseja explorar a literatura de cordel, suas declamações e à estética visual baseada em xilogravuras. Este Canal no YouTube apresenta videocordéis de qualidade com Histórias diversas que podem ser trabalhadas em muitas atividades. Vale a pena explorar, assistir e realizar atividades didáticas com seus vídeos.

O e-mail para contato: ruidasilvabeatz@gmail.com

Link: http://www.ablc.com.br/

Acesso em 29/04/2020.

Prof. Dr. José Rogério Santana

Fortaleza, 01 de Maio de 2020.

email: rogesantana@ufc.br

A Springer Editora liberou mais de 400 livros científicos para baixar enquanto ocorrer à Crise COVID-19.

Fotografia – Clarice Maria Holanda Lagen Morais e Rogério Santana

Pessoal estudioso da Internet, na Crise COVID-19 atual, em certos contextos algumas situações são louváveis e devem ser valorizadas por todos que amam ciência, tecnologia e os conhecimento e saberes em si mesmo. Uma das maiores editoras de livros científicos do mundo a Springer, está disponibilizando para downloads cerca de 400 livros em várias áreas. Muitos destes materiais são em si mesmos verdadeiras enciclopédias para áreas específicas das ciências e do saber. Livros de Matemáticas, Ciências Naturais, Engenharias, Computação, Medicina, Ciências Sociais, Estatística entre outros. Não sabemos até quando este processo vai durar, mas devemos aproveitar para enriquecer nosso acervo online.

Os livros estão em formato PDF e em Língua Inglesa, no entanto, isto não deve ser um empecilho para aprendizagem no Ensino Superior na atualidade em que vivemos. O link está disponibilizado abaixo aproveitem e acessem.

A disponibilização iniciou no final de Abril de 2020, mas deverá ser por tempo determinado. Por isso pessoal aproveitem!

Eis o link: https://posgraduacaosite.wixsite.com/posgraduacao/post/a-springer-liberou-mais-de-400-livros-cient%C3%ADficos-para-baixar-enquanto-durar-a-covid-19?fbclid=IwAR2hmBY7ptjEwDD-KGx1_t4vUIvVxnkNQTWS-7JO0GHKOs8uFA8bAxDSHXI

Prof. Dr. José Rogério Santana

rogesantana@ufc.br

Fotografia: Clarice Maria Holanda Lage Morais

Fortaleza 01 de Maio de 2020.

Coordenador do LABPAM/CDMaker – FACED/UFC